lpdiesel@lopesdiesel.com.br  Av. Jorge Mellen Rezek, 2880  (18) 2103-9700

PORTAL DE NOTÍCIAS

Entenda Quais os Vícios de Volante

Abril, 2020

Os principais vícios de direção que devem ser evitados

Ignorar as luzes de alerta

As luzes de alerta que acendem no painel não estão lá à toa. Elas servem para indicar a “saúde” do caminhão, ou seja, se existe um fluido ou peça exigindo troca ou atenção imediata (bateria fraca, injeção eletrônica, superaquecimento do motor etc.). Ignorar a luz do sistema de freios, por exemplo, pode colocar em risco a sua segurança e a de terceiros, pois ela está apontando sobre o risco de pane no meio do trajeto. Examine o manual do veículo e pesquise sobre os ícones do painel e seus respectivos significados para saber o que pode acontecer com seu caminhão durante as corridas.

Andar com o tanque na reserva

Como o preço do combustível anda nas alturas, muitos condutores adiam o abastecimento o máximo que podem, percorrendo com o tanque na reserva de forma proposital. Só que essa ânsia de fazer economia pode custar caro, na medida em que esse vício compromete o funcionamento da bomba de diesel, encurtando seu período de troca. Além disso, esse péssimo hábito pode gerar multa grave se o veículo parar no meio do trânsito por pane seca.

Usar óleo vencido

Assim como acontece com andar na reserva, não trocar o óleo no tempo determinado pode prejudicar o funcionamento do motor, pois esse produto é fundamental para lubrificar os componentes do sistema. Com o passar do tempo, o fluido torna-se bastante viscoso, reduzindo sua capacidade de circulação em torno das peças internas. Isso sobrecarrega o motor até o ponto de ele estragar, forçando uma troca nada barata para o motorista.

Dirigir com uma das mãos apoiada na alavanca do câmbio

Alguns caminhoneiros têm o péssimo hábito de deixar uma das mãos sobre a alavanca de câmbio. De início, essa prática parece ser inofensiva, mas existem dois problemas que podem surgir por conta desse vício. O primeiro é a alta probabilidade de ser multado. Além disso, esse hábito causa desgaste no trambulador, componente responsável por mudar as marchas, o que dificulta a troca de velocidade e danifica as engrenagens do componente.

Deixar o braço para fora da janela

Em dias ensolarados, é comum abaixar os vidros para amenizar o calor da cabine. Nesse caso, muitos condutores colocam o cotovelo na porta, pondo uma parte do braço para fora do veículo em movimento até sem notar. Isso é muito perigoso. E se algum policial ou câmera pegar você, é multa na certa. Fique atento à fiscalização nas estradas. Além disso, o braço ao ar livre corre o risco de bater em obstáculos. Em casos de capotamento ou colisão, ele pode ser amputado. Portanto, evite problemas deixando sempre as mãos no volante.

Acelerar ou frear bruscamente

Guiar com pé pesado, acelerando ou freando de forma brusca a qualquer sinal de trânsito livre ou parado, é arriscado para você e para o seu caminhão. Esse péssimo hábito deteriora os freios e os componentes homocinéticos, o que reduz a durabilidade dessas peças e estica o tempo necessário para a frenagem completa do veículo.

Acelerar antes de desligar o motor

Esse costume vem da época dos motores carburados, que tinham bombas que demoravam para puxar ou injetar diesel, atrapalhando a partida em dias frios. Ainda bem que hoje não é mais necessário acelerar antes de desligar o motor, pois todos os caminhões da atualidade têm injeção eletrônica justamente para isso. Quando o caminhoneiro tem esse vício, o combustível é direcionado para a câmera de combustão e se concentra ali. Logo, se o veículo for desligado em seguida, essa solução corroerá o sistema, pois ela contamina o óleo do motor com resíduos e desgasta o catalisador.

Deixar o motor esquentar com o veículo parado

Outra mania herdada do passado é a de aquecer o motor com o veículo parado para evitar que ele morra no meio do caminho. Hoje, essa prática é desnecessária e só traz prejuízos mecânicos e para o meio ambiente, provocando uma queima excessiva de diesel.

Esquecer-se de calibrar os pneus

Cada caminhão exige uma calibração específica para os seus pneus, ou seja, a pressão ideal para que eles aguentem o peso da máquina e tenham a força necessária para movê-la. A negligência constante desses componentes faz com que as peças da suspensão sejam prejudicadas, abreviando a vida útil desse sistema. Sem contar que rodar com pneus murchos ou acima da carga tolerável compromete a direção e o consumo, tornando-o pesado para manobras e pouco econômico. Portanto, é recomendado calibrar nas seguintes circunstâncias: veículo parado ou com pouca carga: a cada 15 dias; veículo pesado e/ou trajetos longos: sempre antes de viajar. Vale lembrar que a calibração deve ser feita sem rodar muito até chegar ao posto ou à oficina, pois se os pneus esquentarem demais, o ar não vai entrar na câmara de borracha com precisão. Caso o estabelecimento esteja longe, espere-os esfriar antes de realizar o procedimento. A importância da manutenção preventiva. A manutenção preventiva é um dos “vícios de direção” que você precisa manter sempre na sua mente, pois ela contribui para a conservação do caminhão.

Conheça as vantagens de seguir o calendário de revisões do seu veículo:

evita imprevistos: esse tipo de manutenção detecta falhas antes que elas se agravem, prevenindo paradas em locais remotos; favorece o desempenho: ao fazer ajustes e trocar peças desgastadas, o caminhão terá um rendimento melhor; diminui custos: revisões periódicas eliminam quebras que forçam a substituição de todo o conjunto; melhora a prestação de serviços: evita acidentes que podem danificar a carga e favorece entregas dentro do prazo; garante o sucesso em fiscalizações nas estradas: ao estar em dia com as manutenções, você não será multado por conta de irregularidades no caminhão.

© 2019 Lopes Diesel. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Wise Monkeys®